Jairo Marques

Assim como você

 

Enxergue com o coração

Não costumo postar dois vídeos em uma semana só, mas não teve jeito. Juro que não é preguiça de blogar, mas esse filminho que caiu na minha mão tem tuuuudo a ver com o tema que abordei ‘sisdia’… Bem humorado

 

A essência da mensagem, a meu ver, é o intitula a propaganda: “enxergar com o coração”. Corre-se o sério risco de engano quem avalia o outro absolutamente pelo sentido da visão. E essa conversa todo mundo já conhece, mas é que a novela se repete rotineiramente.

 

Tenho absoluta certeza que há gente que conviva comigo há aaaaaaanos e ainda me desenha na cuca como alguém que, de fato, não sou. Isso em consequencia da minha realidade física, evidentemente.

 

E é broca reverter isso porque envolve mexer na essência do ‘serumano’. Então, toca os ‘malacabados’ se desdobrarem para que sua personalidade não seja resumida à fragilidade de uma bengala, à convalescença da cadeira de rodas a um possível estranhando das feições de quem tem paralisa cerebral.

 

Ver alguém, de verdade, envolve combater os preconceitos, engolir valores rasteiros, abrir mão do imediatismo e permitir que o coração, as emoções mais nobres analisarem os nossos interlocutores….

 

Para os leitores cegões, o filminho só fará sentido com ‘audidescrição’… Se alguém quiser fazer isso no s coments, será muito bem-vindo!

 

Em resumo, a história mostra um chapéu de um cego que voa, moedas que caem, menino que apanha tudo e… e o final eu não conto … Muito feliz. A dica foi do leitor Tiago Paiva.

 

Para acessar o link direto, clique no bozo. Brincalhão

Escrito por Jairo Marques às 00h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pedintes

Semana passada, um vídeo bombou nas internets: era uma pessoa se arrastando pelo chão, fingindo ser ‘matrixiana’, para ganhar um troco dos motoristas que passavam pela rua e sentiam dózinha da situação... Carente

 

No caso, em especial, era um farsante, mas a realidade mostra mesmo que milhares de pessoas com deficiência vivem nas ruas pedindo “dá um trocado, tio”.

 

E isso vem de tempos, tempos duuuros em que viver sobre uma cadeira de rodas ou não ter um braço, uma perna, ser prejudicado das vista era sinônimo de gente imprestável e que precisava de caridade para sobreviver... triste!

 

Todos os dias, quando saio do trabalho, me deparo com um tiozinho em uma cadeira veeeelha, todo esfarrapado, com a cabeça branquinha, pedindo grana em um farol aqui do centro de Sampa.

 

Ele sempre é hostil com quem se nega a jogar uma moedinha. Faz gestos, xinga, reclama. Quando ele me vê, olha, se aproxima da xaranga, mas não pede nada... Percebe que somos “iguais”... (levo a minha cadeirinha no banco do carro e há o selo no vidro, fácil de descobrir que sou do time) Bem humorado

 

Não posso levantar julgamento sobre ninguém, evidentemente, cada um sabe onde o seu calo aperta, mas há milhares de ‘malacabados’ que se entregam a sua condição para viver como indigente. Pedir, se humilhar na rua, pode ser mais fácil que encarar a vida com uma desvantagem física ou sensorial.

 

 

 

O problema dessa questão, que é além do social, é o reflexo que provoca para a vida de toooodos dos “dificientes”, que ficam com a aura de eternos necessitados. Eu mesmo já contei aqui, lááááá no tempo que esse blog era virgem , de quantas moedinhas já ganhei na rua, né?! (quem não se lembrar, clica no bozo Brincalhão)

 

Quando me posiciono contrário às ações que visam fazer “bondades gratuitas” aos ‘malacabados’, é pensando na representação que estamos tendo em sociedade. É preciso virar, “difinitivamente” (como diria minha tia Filinha), a página de que precisamos de esmolas para viver.... precisamos é de oportunidade.

Escrito por Jairo Marques às 00h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A parceria perfeita

Milhares de pessoas se inspiraram em um vídeo que rodou o mundo, há uns dois anos, de um pai que construiu uma cadeira de rodas especial que possibilitava a ele fazer maratonas empurrando o filho, que era PC.... (Não sabe o que é PC? Clica no bozo...Brincalhão)

 

Pois um exemplo, láááá da outra banda do mundo, pode mudar a vida de gente em todos os pontos do planeta, o que é lindo, ‘maraviwonderful’... Por isso eu não me canso de botar palavras aqui neste cafofo e de incentivar outras iniciativas. Informação é tudo...

 

Meu amigo Evandro Bonocchi, ontem à noite (15), levou uma grande surpresa para minha caixa de mensagem: Miltinho e Léo, que fizeram suspirar fundo e dar um ânimo gigantesco para começar a semana...

 

A dupla, de São José dos Campos (SP), construiu a “parceria perfeita”: amizade, espírito de equipe, colaboração mútua, aprendizado e esperança....

 

O vídeo abaixo não tem muitas palavras... meus leitores cegões, terão de pedir a tradução das imagens para um “brother”...  O que ele tem, aos montes, é uma incrível lição de vida, que vai fazer a segunda-feira de vocês beeeem diferente!

 

 

O link direto, para quem precisa, tá na florzinha! Sorte

Escrito por Jairo Marques às 00h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.