Jairo Marques

Assim como você

 

Consulta médica

A cena se repete a cada vez que tenho que ir a um consultório médico, mais ou menos de década em década Sem jeito:
 
“Meu fio, quanto cê mede?”
 
“Ah, seu dotô, faz um arrazoado aí porque eu não sei. Não sou nem muito grande, nem muito pequeno”

“Tá, vou botar um número aqui. Mas você pesa quanto?”
 
“Ah, seu dotô, eu devo tá pesando um bom par de arroba... mas certim eu não sei dizer, não senhor”
 
Para quem anda sentado e não para em pé, como é meu caso, saber as próprias medidas é algo absolutamente ‘compricoso’. Mas disso eu até já havia falado aqui no blog em algum momento...
 
Porém, dia desses atrás, recebo uma mensagem curiosíssima da leitora Marcia Carrion me contando a seguinte história:
 
“Oi, Jairo, sou cadeirante e gostaria de te contar uma história. Hoje fui fazer uma consulta médica, no centro de São Paulo. E não é que o médico me disse  ‘suba na mesa para eu examiná-la’.
 
Fiquei estarrecida com a altura do trem. Você acredita que mal dava para eu ver a superfície dela, de tão alta que era? Obvio que eu não pude subir "naquela montanha".


 
Tive que passar pela desagradável situação de vir ‘um time de futebol’ de enfermeiras para me colocarem lá em cima, com caras de ‘segunda-feira, depois de um feriado prolongado"
 
Ai, “zente”, é duro mas é engraçado demais, falai?! Rindo a toa. ‘Evidentchimente’ que eu já passei por essa situação várias vezes. Acontece para consulta, para raio-x, para exames, para check-up, pra tudo.
 
Por mais astuto que seja o ‘malacabado’, deve ser raro aquele que consegue trepar de boa nessas macas altonas, sem precisar de uma ajudinha que seja.
 
Mas nem tudo está perdido, meu povo. As tecnologia já pensou nessa situação e já existe solução inteligente e à mão para dar conforto, agilidade e praticidade para essas roubadas, que não acontecem só com quem anda de cavalo, acontece com os muito gordos, com os entrevadinhos, com os muito velhinhos..
 
Já existem vaaarios modelos de macas hidráulicas! As danadas sobem, descem e se ajustam às necessidades do usuário, super de boa.
 
Estive em Uberlândia faz um ‘cadim’ para fazer uma reportagem especial sobre o exemplo de acessibilidade que a cidade dá ao país (para quem não viu o tio todo glamuroso no vídeo, é só clicar no bozo Brincalhão).
 
Em um hospital inaugurado recentemente por lá, toooodas as macas são hidráulicas (toda a estrutura dele também é sensacionalmente acessível). É impressionante. E a decisão de comprá-las levou em conta facilitar a vida de cadeirantes, de pessoas com mobilidade reduzida e tudo mais...

 

Sim, elas custam muito caro, muito mais caro que as tradicionais. Mas quem vai a um hospital, quem vai fazer uma consulta precisa ter um mínimo de conforto. Não acho que seja um luxo, não.
 
“Ah, tio, mas a saúde pública brasileira precisa de tantas outras prioridades...”
 
De fato, precisa. Mas, uma maca é um bem permanente de um hospital, de uma clínica, logo é um investimento inicial que pode ser programado em um orçamento. Enfim, acho que está na hora dos hospitais adotarem em massa essa melhoria tão substancial para a vida das pessoas...
 
Em tempo: Por coincidência, hoje o tio tem que ir ao doutô. Depois conto como foi proceis tudo... Bem humorado

*Imagens do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 00h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um presentão de Natal!

Meu povo, chegou a hora que muuuita gente estava esperando. Sim, o tio não vai abandonar ‘ceitudo’ no Natal e vai ter presente sim!!!!

 

Está lançado, a partir de agora (5/12), o concurso cultural “Papai Noel, não se esqueça do meu cavalo novo”! Uhrúúúú

 

 

O blog, juntamente com o patrocínio supimpa da Mobility Brasil e Otto Bock Brasil, vai dar para frase mais bacanuda, mais melhor de boa, mais ‘maraviwonderful’... tchanannnnnn... uma das melhores cadeiras de rodas do mundoooooooo! Convencido

 

                                                      

 

 

“Tio, pelamor, para de enrolar e fala qualé esse cavalo bão que o campeão ganhará?”

 

“Zente”, graças aos barões Rindo a toa da Mobility e da Otto Bock, o primeiro colocado vai levar para casa, em qualquer lugar do Brasil, sil, sil, uma “Blizzard” manual, uma bichona levinha, muito bonita, extremamente usual e moderna. Clica o bozo que eu mostro direitinho qual é. Brincalhão

 

 

A cadeira será feita conforme manda o figurino. O vencedor (ou vencedora, craro, crovis Bobo) irá repassar as medidas e a cor que prefere para a Mobility, que irá acertar a produção com a Otto Bock. A entrega vai depender do tempo em que as demandas técnicas forem resolvidas, mas é rápido!

 

Fico mais feliz que porco no lixo ao poder ser uma ponte de um presente tão valioso assim (é uma das cadeiras mais caras do mercado Muito feliz). Mas nããão é só isso! O segundo e o terceiro colocados também serão presenteados!!!!

 

 

O segundão leva para casa uma cadeira de banho “legalzuda” da Ortomix, modelo standard plus (olha na florzinha Sorte). O terceirão ganha uma banqueta de banho. Todo mundo vai ficar mais cheiroso que filho de barbeiro em 2012! Tonto

 

“Véio doido, como vai funcionar?”.

 

Seguinte: até o dia 20 de dezembro (é pouco tempo de inscrição), os concorrentes precisam mandar para o email jairo.marques@grupofolha.com.br uma mensagem de felicitações de final de ano.

 

As mais originais e mais representativas para as marcas (o blog, a Mobility e a Otto Bock) levam os prêmios. Vocês podem enviar quantas frases quiserem, mas atenção: o título da mensagem precisa ser: “Papai Noel, não se esqueça do meu cavalo novo”.

 

 

Peço que vocês espalhem essa oportunidade para o maior número de pessoas. Tem muuuita gente que precisa de uma cadeira de rodas funcional e moderna para levar a vida e, agora, tem uma oportunidade bacana de ganhar.

 

Coloquem o link do post nas redes sociais, mandem para os amigos, vamos agitar meu povo!!!

 

Os jurados que vão escolher as melhores frases serão: a repórter fantástica Flávia Cintra, o meu querido leitor Thiago Pellizzaro, do Rio Grande do Sul, e eu, oficourse!

 

Vamos, resumidamente, às regras:

 

- Mande uma mensagem de Natal para o email jairo.marques@grupofolha.com.br. Podem concorrer pessoas de todo o Brasil

 

- O título da mensagem precisa ser “Papai Noel, não se esqueça do meu cavalo novo” (emails sem esse assunto no título serão desconsiderados)

 

- Mande quantas mensagens quiser. Mas elas precisam chegar até a 23h59 do dia 20 de dezembro

 

- A melhor mensagem, escolhida pelo júri, ganha a cadeira de rodas modelo Blizzard, que será entregue pela Mobility Brasil, a segunda melhor, a cadeira de banho, a terceira melhor, uma banqueta de banho

 

- Qualquer pessoa pode concorrer, mas o prêmio só será entregue para um cadeirante, que precisa comprovar que será o verdadeiro dono do mimo. Assim, um andante poderá mandar frase, mas terá de presentear, caso seja o vencedor, o prêmio para um cadeirante.

 

Boa sorte a todos e borá já mandar suas frases!!!

 

Em tempo: Não há nenhuma vantagem financeira ou outra entre o blog e as empresas que patrocinaram o prêmio. Qualquer questão alheia às regras será solucionada pelo corpo de jurados do concurso.

Escrito por Jairo Marques às 00h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.