Jairo Marques

Assim como você

 

Acessibilidade verde

"Zimininos", tô passando aqui hoje só rapidinho para falar que amanhã (21/05), o tio vai estar nos próprio Parque do Ibirapuera, em evento dos 25 anos SOS Mata Atlântica.

Convidaram o tio para falar sobre acessibilidade em áreas verdes! Não, não falarei nada sobre o corpo do Incrível Hulk.. Rindo a toa

Achei o tema bem bacanudo, porque se a natureza for sempre "intocável" não há cadeira de rodas, muletas e cão-guia que consiga usufruí-la, né, não?!

O debate começa às 12h, do ladinho do Museu Afro Brasil.... Bora nóistudo?!

Escrito por Jairo Marques às 10h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Carta aos leitores...

Dia desses, na sala de aula, dando orientação a uma aluninha lá na ‘facul’, a conversa descambou e a moça soltou a frase que ouvi com muita frequência no último ano de peleja pelo blog parar em pé: “Aquela história que você contou me ajudou muito, deu uma força, uma coragem”.

Reconheço que sou um anjinho Inocente, um ‘minino bão’, mas saber que, de alguma forma, o que a gente faz leva impacto para a vida das pessoas dá um medinho, uma vontade incrível de responder: “magina, são seus olhos”. Com vergonha

 

É natural de mim ser ansioso, querer fazer algo que provoque alguma reflexão, depositar muita energia em tarefas simples. Mas, às vezes, acho que não me preparo o suficiente para os retornos de fontes diversas que me chegam.

 

Tem gente que bate na minha porta falando: “Vou te matar! Chorei de emoção no texto daquela menina.” E, de repente, tem uma carta dizendo: “Quero fazer a mesma coisa que o fulano que você escreveu fez”. Isso quando não tem um torpedo no celular contando vantagem: “Pô, hoje ajudei um puxador de cachorro do jeitinho que tem de ser”.

 

Reconheço que sou um “mal acostumado” com o carinho imenso que meus queridos leitores, de todos os dias, depositam no  meu coraçãozinho Sem jeito. Reconheço que, muitas vezes, o “medinho” da responsabilidade dá lugar a uma satisfação ‘zigante’ por ter colocado um tijolinho na obra de vida de quem quer que seja.

 

Cada vez que empurro uma palavra nessa página em branco rumo ao mundo, espero que ela atinja um alvo magnético ávido por receber a flecha e, em seguida, disparar outros rojões de conhecimento, de alegria, de informação, de inspiração para a frente.

 

 

 

 

Nos bastidores do “Assim como Você” tem muita gargalhada, tem muita correria para “dar tempo antes da 0h”, tem choradinhas solitárias por histórias tão bonitas, tão agregadoras, tem opiniões diversas.

 

Porém, acima de tudo, tem um cara apaixonado por uma “causa”: a de tentar promover um mundo melhor para mim e para quem está nessa chuva de injustiças, de apartamento social, de espera por oportunidades, de gosto de vida.

 

O blog faz três anos hoje.... continuo enlouquecido por tudo que o faço por aqui e pelas batalhas que proponho, apresento (às vezes, até demais Muito triste); sigo guiando a Kombi com o máximo de atenção possível nesse caminho tortuoso (admito que tenho dirigido menos!) .

 

 

 

Porém, mais do que tudo, tenho muito orgulho de dizer que “meus três ou quatro leitores” são os mais legais pra caramba.... do mundo... e que é bom demais saber que tenho, dia após dia, com quem contar!

 

Do tio... 

*Imagens do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 00h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

As cores das flores

Imagem vocês o desafio que é tentar ensinar a uma criança com deficiência visual, os ceguinhos da vida, valores que só estamos acostumados a repassar de forma imagética, como por exemplo, o que é a cor amarela?

 

Em situações assim, acho que sensibilidade e dedicação falam muito mais do que qualquer técnica pedagógica. Vai de quem rodeia as crianças ‘matrixianinhas’ matutar formas de mostrar o amarelo seja comparando, dando exemplos próximos, somando conhecimentos.

 

Às vezes, os professores de crianças ‘malacabadinhas’ se esquecem de que é preciso alguma atenção diferenciada para que todos consigam aprender da mesma maneira.

 

Reconheço que é impossível fazer um atendimento “especial”, individual nas escolas, sobretudo nas públicas, mas avalio que é possível dar caminhos, entender que há um aluno que precisa de outros tipos de esclarecimentos, de atenção em alguns momentos. Isso não muda os rumos da humanidade, muda?

 

O vídeo que segue abaixo, sugestão da minha queridíssima amiga Pilar Nieva, é de uma delicadeza ímpar. Totalmente ‘guti guti’ e uma inspiração ‘maraviwonderful’ para todos começarem bem a semana.... “As cores das flores”...

 

Peço que, quem tiver amigos puxadores de cachorro, que façam audiodescrição dos trechos necessários, fechou?!  

 

Para o acesso ao link direto, é só clicar aqui!

Escrito por Jairo Marques às 00h06

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.