Jairo Marques

Assim como você

 

É domingo....

Calma, meu povo. O blog continua com a tradição de tentar oferecer a ‘ceitudo’, no Dia das Mães, um post ‘maraviwonderful’ para ser lido, visto e sentido em família ou só com a mama ou com quer que queiram bem...

 

Neste ano, a ideia é trazer uma mãe moderna, trabalhadora, sonhadora, desafiadora e ‘evidentechi’, ligada aos malacabados da vida.... tudo isso, misturado com ternura, com conflitos...

 

Vai ser um domingo de muuuita emoção, de aprendizado, de reflexão, de festa.... de música.... Mas é domingo... ‘ceis’ voltam, zente?!

 

 

Por... Arthur Calasans

Escrito por Jairo Marques às 00h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Depois do amor, a vida!

Eu adoro o número 13 e foi por capricho do destino que Valentina, um bebê que é parte da história desse diário, resolveu dar as caras neste mundo justamente no último dia 13 de abril.

 

“Tio, mas o que essa menininha tem a ver com o blog do povo que puxa cachorro, que tem o escutador de novela avariado, que arrasta muleta, que anda sentado em cadeira?”

 

Tudo começou com um casamento.... O casamento de Maysa e Carlos.... Mas pra rodar o filme, tem que clicar no bozo... Brincalhão

 

O tempo passou, o mundo rodou e o casal, dando de ombros para todas as adversidades, estigmas, meias verdades, resolve encomendar um bebê.... Para saber como foi, clica na florzinha....  Sorte

 

Do comecinho de uma história de amor entre uma das primeiras leitores do “Assim como Você”, a Maysa, com o seu “tetrão”, o Carlos, agora chegou-se a uma nova vida... Valentina.

 

 

 

 

Os leitores cativos desse espaço devem entender a dimensão que essa criança tem para a minha história, para a batalha de desmitificar o mundo das pessoas com deficiência, para a continuidade de uma ciranda que rodopia Brasil afora...

 

“Sabe Jairo, eu te escrevi no primeiro post, do casamento, que em diversas situações eu fui as mãos e os pés do Carlos. E com o tempo descobri que por vezes eu sonhei por ele também. A principio esse bebe foi um sonho meu, Carlos nunca pensou em ter outro filho.

 

Depois do acidente, ele perdeu muito da vontade de viver. Mas, agora, tenho certeza, já posso presenciar que a Valentina esta dando um novo sentido para essa realidade dele. Mais que movimentos, Carlos hoje ganhou um sentido novo para viver e sonhar....”

 

 

Quantos e quantos homens e mulheres com tetraplegia, com paraplegia não se impõem um cabresto de sofrimento, de fim da linha ao redor do mundo? Mas os caminhos para se refazer, para recriar, para reinventar.... existem!

 

“Logo que fomos pro quarto o papai chegou, o brilho do olhar dele reluzia. Em tantos anos juntos, nunca vi Carlos com um semblante de tão pura felicidade.”

 

 

 

Sei que muitas mães espiam esse blog. E elas sabem também o quanto adoro o mimo de seus retornos, seus sorrisos, suas inspirações, seus anseios de eu, pobre eu, conseguir escrever algumas palavras sobre seus próprios caminhos.

 

 De minha “fã e seguidora” das antigas, Maysa passa a engrossar agora as mães que empurram essa minha Kombi véia para que ele seja melhor para mim, para os “matrixianos”, para Valentina.

 

 

 

“Nossa pequena é linda, tranquila, um anjo que Deus nos mandou. Nasceu pequenina, mas com saúde e trazendo uma felicidade imensa pra todos.”

 

Tomara que essa história inspire filhos a amar mais suas mães, inspire mães a redobrar as forças pelos filhos, inspire coragem de seguir adiante, inspire colher flores para as amadas e amados que, no futuro, quem sabe, novos frutos virão.

 

 

 

E o Carlos mandou para todos: “O que mais posso dizer, além de que sou o homem mais feliz do mundo?!”

 

* Fotos de arquivo pessoal de Maysa Mascarin

Escrito por Jairo Marques às 00h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Exoesqueleto

A conversa de que, muito em breve, vão estar disponíveis uma espécie de roupa que os malacabados vão vestir e sair andando mais serelepes do que minhoca na lama tem se intensificado no mundo todo.

 

Há um tempo, coloquei aqui uma iniciativa semelhante desenvolvida em Israel. Na época, pra variar, eu falei mal... Muito triste. (clica no bozo que eu lembro Brincalhão).

 

Sou contra a exibição de produtos que prometem revolucionar a vida da gente sem que digam, de fato, quando aquilo será realidade e para quem servirá. Vender ilusões é muito fácil. Afinal, há um público sedento para comprá-la.

 

Pois bem. O tal do exoesqueleto _que é uma espécie de carapaça que dá a força do He-Man pros estropiados_ tem se desenvolvido cada vez mais e tô achando que, em breve, vai ter gente na rua usando o treco daqui para acolá.

 

Quais são os poréns da brincadeira?! Um aparelho desses vai custar os olhos da cara e mais um fusca véio. Triste. Algo que vai provocar um impacto ‘felomenal’ no povo com deficiência poderá demarcar ainda mais a diferença na qualidade de vida de quem tem e quem não tem mil réis no bolso.

 

Não dá para saber se todo o mundo conseguirá ajustar os ‘corpichos’ na máquina. É preciso lembrar que há ‘matrixianos’ sentados faz muuuuitos anos (igual ao tio) e botar em pé, de uma hora para outra, vai ser uma vertigem daquelas... Sem jeito

 

Uma vez, alguém deixou  um comentário aqui no blog que eu nunca vou esquecer (só o autor que não me lembro, afinal, a idade não ajuda).

 

A pessoa disse que procura estar sempre com o corpo em forma à espera de poder utilizar, no futuro, algum avanço da ciência. Caramba, e é bem isso.

 

Abaixo, tem um vídeo impactante de um pesquisador que está por trás do desenvolvimento do tal exoesqueleto. Há um certo tom propagandístico, de oba oba e de “milagre” na fala dele, mas, sinceramente, acho que preciso rever meus conceitos..... esse troço está mais perto da gente do que podemos imaginar...

 

O mais intrigante é que o início das pesquisas foi motivado pela guerra, para facilitar a vida de quem está nos frontes para.... matar. E eis que, de repente, o mesmo aparelho pode ser revertido para uma nova vida... Vale demais apreciar o vídeo.

 

Quem anda em cadeira de rodas, certamente, como eu, vai colocar a panela da esperança na chama.... mas, sejamos calmos... vamos usar o fogo brando, por enquanto, né, não?!

Para acessar o link direto, clique aqui.

Escrito por Jairo Marques às 00h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.