Jairo Marques

Assim como você

 

O conselho da bruxa

Uma vez tive um tico-tico no fubá com uma moça que se dizia bruxa. A danada não usava ‘bassoura’ muito menos tinha verruga no nariz. Era dessas bruxas modernozas, bonitas, com preocupações ambientais e sobretudo com o bem estar dos outros.

 

A garota também não fazia poções mágicas, apesar de adorar umas ervas meio exóticas, todas lícitas, por sinal..Legal . Falava de nomes de entidades esquisitas, lia obras com títulos nada a ver e, às vezes, entoava uns mantras que só por gzuis.. Muito triste

 

 

Apesar de o romance não ter vingado, foi com a garota aprendiz de feiticeira que agreguei uma das maiores e mais grudentas superstições da minha vida.

 

Ela me ensinou assim: “Jairo, toda vez que você quiser muuuuito alguma coisa e, necessariamente, precisa ser alguma coisa do bem, imagine como se aquilo já tivesse acontecido ou fazendo parte de sua vida. Se quer um boneco novo do Bob Esponja Inocente, se imagine agarrado a ele, dormindo com ele, dando gargalhadas com ele. Se quer ir a um show, desenhe o espetáculo na sua cabeça, em detalhes. Se quer se casar, pense no altar, no padre, nas flores, no sim da noiva”.

 

De lá para cá, criei esse ‘vício’ imaginativo. Faço a tal mentalização antes de viagens, antes de conversas importantes, antes de tomar grandes decisões ou quando desejo muito que algo aconteça.

 

 

Descartada qualquer chatice que me lembre a casualidade dos fatos, a lógica da compensação pelo esforço legítimo, a sorte, adoro cada vez que minhas mandingas se concretizam e passo a imaginar novos desafios, novos quereres.

 

Gosto de achar que o fato de estarmos evoluindo na tão abandonada questão da acessibilidade no Brasil, decorre também da razão de haver mais gente desenhando na cabeça esse mundo mais possível, mais igual no direito de ir, de vir e de ficar.

 

Uma vez eu li que a passagem do ano serve, além de contar o tempo, para revigorar a nossa existência, dar novo ânimo para encararmos o dia a dia, os velhos problemas, os novos desafios.

 

Então, juntando a fome com a vontade de comer Bem humorado, deixo para os meus queridos leitores, como última mensagem do ano, essa pequena dica para entrar 2011 só projetando vitórias, momentos bons...

 

 

“Ceitudo” sabem que sou do time que incentiva sempre o fazer, o agir, o atuar. Mas, parte de uma boa festa é mesmo o sonho, o frio na barriga do dia anterior, a emoção de desenhar os detalhes...

 

Que consigamos fazer do Ano Novo, o melhor ano de nossas vidas... e dos outros!

 

Beijos nas crianças e até 2011! Beijo

 

* Imagens retiradas do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 00h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.