Jairo Marques

Assim como você

 

É pura emoção

Tem gente que não leva muito a sério que o meu projeto é mesmo dominar o mundo Tonto.  E digo a vocês que os tentáculos desse humilde objetivo estão estirados e já mostram resultados concretos.

É com muita satisfação e orgulho que informo a vocês que um grande aliado desse blog, parceirão, mesmo, o fotógrafo Arthur Calasans, teve um de seus trabalhos sobre esse universo paralelo em que vivem os deficientes escolhido pelas Nações Unidas  para uma exposição mundial!

Para quem não se lembra, o Calasans fez aquele ensaio comigo dentro  de um cinema pornô Rindo a toa. Tá duro pra saber qualé? Clica no bozo! Brincalhão

Uma imagem flagrada por ele foi selecionada para compor a mostra da Campanha Mundial de Fotografia “Humanizando o Desenvolvimento”.

Os trabalhos escolhidos irão rodar dezenas de países ao redor do mundo e poderam ser vistas em exposições públicas. E nós, os matrixianos, estaremos belamente representado por uma florzinha cor-de-rosa, a encantadora ‘malacabadinha’, Ana Laura Cotrim Rebouças, clicada pelas lentes do Calasans. Que orgulho!

 

Esta imagem foi registrada na escola Doce Começo, onde a deusinha ensaia seus primeiros.... passos.... do balé cadeirante! ( Foto selecionada para a exposição)

 

 Baile para o mundo, Aninha... que todos se inspirem no seu sorriso contido e na sua forma sublime de inteirar...

 

Concentre-se, pequena bailarina. Que sua arte seja admirada, respeitada e entendida cada vez mais

 

Que a cada Pliê e Demipliê, realizados a seu modo, mais pessoas entendam que todos precisam ter o direito de viver plenamente

 

Sorrria, mesmo, Aninha... Você é orgulho de todos nós. E vamos contigo e com o talento do Arthur Calasans desbravar o universo!   

Para saber mais sobre a campanha das Nações Unidas e ver outras fotos selecionadas, clique aqui!

* Ensaio cedido pelo fotógrafo Arthur Calasans com exclusividade para o "Assim como Você"

Escrito por Jairo Marques às 01h02

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Falta um mês ou nada mais?

“Zimininos”, é hora de começar a mexer a farofa, preparar a leitoa, arrumar as panelas da “malmita”. Daqui a exatos 30 dias, mais conhecido como um mês surpreso, será a hora dessa gente “malacabada” e seus aliados mostrarem seu valor aqui em São Paulo!

 

No dia 5 de dezembro, vai rolar a passeata/bagunceira do Movimento Superação! Aêêêêê. O local onde irá acontecer o fuzuê ainda está igual ao sexo do meu amigo Amauri: indefinido... Muito triste

 

Talvez seja mesmo na avenida Paulista, talvez no Vale do Anhangabaú.... Assim que baterem o martelo, eu aviso todo mundo.

 

Insisto com vocês que esse momento é a grande ocasião para que mostremos a cara. É quando a gente firma para sociedade que não queremos mais viver num mundo paralelo em que nos jogaram.

 

Seja de maca, de bengala, arrastando um cachorro, puxando as sandálias, tropicando, mancando, é preciso ir à rua, pessoal. É preciso gritar que queremos ir e vir com dignidade, que queremos acesso pleno à vida cultural e social, que queremos reconhecido o nosso direito de sermos protagonistas, atuantes, e não mais expectadores.

 

Para dar mais um fôlego e inspiração a vocês, minha adorável amiga e colaboradora maior deste blog Silvetz Dutra arranjou as impactantes fotos da Lara Miranda, feitas na passeata do Rio, em um vídeo de encher o zóio e o coração de emoção! Se preparem para dar aquela choradinha básica! Bem humorado

 

Ah, sim, e não falta nada mais pra eu ficar mais velho... Hoje, dia 5, os numerozinhos que ficam abaixo dessa foto do tio ali do ladinho direito da tela, e que vocês tanto beijam quando tão com “xodades” Muito triste, precisam mudar para 35.... Num é lindo?!

 

 

Escrito por Jairo Marques às 00h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

‘Tenditudo’

Um trampo num flash!

Eu vivo martelando na cabeça desse povo “matrixiano” que sem estudar, sem se qualificar, sem botar banca de sabichão surpreso, a dominação do mundo não rola.

Quando a gente se prepara, a gente consegue emprego e com emprego consegue dinheiro e com dinheiro muita gente que nem olha pra nossa cara vai estender tapete vermelho pra gente sujar com as rodas das cadeiras de rodas tudo... Rindo a toa

O CPqD, de Campinas, que é uma instituição independente, com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação, abriu novas vagas para o seu programa de capacitação “Qualificar para Incluir”, que tem o objetivo de treinar os ‘matrixianos’ em Tecnologias da Informação e Comunicação. Tudos os negócios de futuro, de avanço, de gente "inteligentechi"!

 

O barato e totalmente de graça e tem cerca de um ano de duração. Só pode se inscrever quem tem, pelo menos, até o segundo ano do ensino médio, que no meu tempo era o colegial. Carente

“Uai, tio, mais causo de quê isso ai é bom?” Porque boa parte dos cabras que participaram da primeira turma já tão tuuudo empregado em grandes empresas, ganhando bufunfa e rumando pras próprias diretoria... Muito triste.

São 80 vagas e as pessoas serão divididas em quatro turmas. O CPqD também vai, prestem atenção, dar o material didático e transporte do centro de Campinas até as instalações onde vão rolar as aulas. Mais moleza só sentando no colo do Jô Soares... Rindo a toa

 Para se candidatar www.cpqd.com.br. Tem de fazer até o dia 15 de dezembro. Qualquer estropiado (dos zóios, dos zovidos, das pernas, de tudo EMOTION) pode se candidatar!

 

Sua, sua, sua... feia!

Essa quem me mandou foi a minha amiga linda/ linda amiga Tabata Contri.  A loira “pescou” nos próprio Twitter esse “desabafo” mimoso de uma atriz que, como diz o Zeca Pagodinho, e com todo o respeito, eu repito: “Nunca vi, nem comi eu só ouço falar” Muito triste. É uma tal de Thaila Ayala.

Saque o que a nega declarou: “Como e ruim sentar na primeira cadeira do avião... Todo mundo fica te olhando como se fosse paraplégico! 3:25 AM Nov”.
 
http://twitter.com/Thailaayala

 

Juro que não conheço essa moça e nem sei qual foi a intenção dela em escrever algo que nem em roda de botequim de terceira eu já ouvi.

 Mas eu mando um recado: Se preocupa, não, mona. Não vão te olhar com cara de “malacabada”, porque o seu estrago não é nos cambitos nem nas canelas na finas... seu estrago é no “célebro”, se é que você me entende.... Rindo a toa (Gzuis, tô ruim, né?)!

 

Mais, mais cinema!

Meu povo, termina no dia 8 deste mês (domingão) a Mostra Cinema Nacional Legendado & Audiodescrito, no Centro Cultural Banco do Brasil.

Os filmes vão ser exibidos em com closed caption (legenda oculta), a partir das 11h e é tuuudo na faixa... uma beleza de se ver! Legal

E bota reparo que legalpracaramba.com.br: uma Van faz o transporte gratuito até as proximidades do CCBB – embarque e desembarque na Rua da Consolação, 228 (Edifícos Zarvos) e na Rua 15 de novembro, esquina com a Rua da Quitanda, a vinte metros da entrada do CCBB.

 

Os “pessoais” que é cego ou tenha os “zóios” meio descompensados Beijo, além dos surdos tem uma oportunidade “maraviwonderfull” de apreciar a sétima arte com independência total! Bora lá, “zimininos”?

Para mais informations: Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo R. Álvares Penteado, 112, Centro Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô

(11) 3113 3651  www.bb.com.br/cultura e www.twitter.com/CCBB_SP

 

* Imagens de divulgação e do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 23h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A viagem da Fabi

Conto por aqui diversas histórias de desafios que esse povo sem braço, sem perna, que não enxerga, que não escuta direito enfrenta para desbravar o mundo. A de hoje tem um sabor especial: é a de uma menina que, pela primeira vez, resolveu viajar sozinha, montada em sua cadeira de rodas.

 

Pode parecer algo corriqueiro para a maioria dos “mortais” fazer uma viagem, né, não? Para um cadeirante, porém, o lance é mais punk, afinal, para dar “as caras” ao mundo é preciso passar bastante óleo de peroba... surpreso

 

A fórmula, contudo, para que sejamos notados de fato e para que as transformações que precisamos para ter mais dignidade no aproveitamento dos espaços, a meu ver, é justamente a de enfrentamento.

 

É saindo à rua que ela, a rua, irá nos notar. É indo aos bares que vamos poder beber, é indo aos centros de lazer que eles vão acreditar que a gente “não quer só comida”, é viajando que as estradas irão acreditar que queremos ir a qualquer lugar.

 

A Fabíola Pedroso, minha leitora desde os tempos das cavernas Rindo a toa, tem essa cartilha do projeto da dominação do mundo na ponta da língua. Passou sebo nas canelas finas e vou se aventurar, como qualquer jovem, em um passeio de férias, lá pras Minas Gerais.

 

 

“Minha saga começou na compra das passagens, pois me aventurei a andar de ônibus e como todos sabem não é adaptado em nada. Comprei pela internet sem problemas e também não havia nenhuma indicação para eu falar que era deficiente. Já lá na rodoviária, cheguei ao ônibus e fui a ultima a entrar. Não havia nenhuma adaptação e tive de ser carregada  para cima. A cadeira foi no bagageiro junto com as malas.

 

Como meu santo é forte e quem tem boca vai a Roma, sempre arrumo alguém que me ajude e haja homem forte ... Muito feliz. Uma dica é comprar a passagem com algumas semanas de antecedência para pegas as primeiras poltronas e não a última como eu fiz.” 

 

Atualmente, eu já tenho visto alguns ônibus interestaduais com elevador. Essa situação que a Fabi narrou, eu já vivi muuitas vezes. Só que nem sempre eu era “agarrado” nos braços com muito carinho, não... Muito triste. Quem quiser saber como era, é só clicar no bozo!Brincalhão

 

“Depois de oito horas de viagem, cheguei a ‘Belzonte’ louca de vontade de fazer xix Sem jeito, mas para minha surpresa o banheiro acessível da rodoviária ficava no andar de cima e para chegar lá.... tchanaammmm... era preciso subir escadas porque o elevador tava quebrado. Não teve jeito tive que esperar e ir fazer em um bar lá próximo...”

 

Tá ai uma situação que os “mortais” poucas vezes se dão conta: os ‘malacabados’ precisam dar as suas urinaaaaadas... Rindo a toa Uma ‘radoviária’ precisa ter vários banheiros acessíveis, assim como aeroportos, estações de trem. A gente chega das viagens tudo muito avexados para ir à casinha...

 

Durante meus quatro dias em BH, andei de ônibus e taxi já que metrô lá não nos leva para muitos lugares. Ônibus, em sua maioria, como eu fiquei bem no centro da city, eram adaptados e os taxistas bonzinhos e as corridas não muito caras. Gastava o máximo 15 reais por corrida. Fiquei hospedada no bairro de Santa Ifigênia , perto do centro (praça da Liberdade), sem muitos problemas cheguei fácil ao Mineirão e ao Mineirinho onde aos domingos tem uma feira e comidas típicas.”

 

A Fabi teve um pouco de sorte porque taxista "bonzinho" com malacabado é peça rara! Insatisfeito Mas, sem dúvidas, esse tipo de transporte é uma opção para que possamos conhecer alguns pontos das cidades. Será que BH já tem táxi acessível?

 

 “As ruas de BH não são nada acessíveis e se você não tiver domínio ou campainha fica bem difícil de se locomover. Como eu não queria gastar muito com hospedagem, resolvi procurar um Albergue da Juventude (WWW.hostel.com.br), onde muitos estudantes, jovens e até adultos e aventureiros se hospedam. Para minha surpresa o albergue tinha acabado de fazer um quarto adaptado e estava começando a adaptar o hostel na entrada é uma rampa a porta é bem pequena mais passa.

 

 

 

Já o quarto tem lugar para duas pessoas e banheiros dentro, o banheiro é bem espaçoso e acabei colocando uma cadeira de plástico para tomar banho (quando fui embora, iam colocar barras de apoio no vaso e chuveiro, lá ainda conta com cozinha , lavanderia , lan house e piscina."

 

Achei legalpracaramba.com.br o fato de ela ter ficado em um albergue da juventude. Eu nunca tive essa coragem, apesar de viajar um bocado. Os albergues socializam, são mega animados e baratos. Atualmentchi, acho que já vários acessíveis.

 

"Fui a muitos bares, a especialidade da cidade , parque ao estádio, fiz tudo que eu queria dando um jeitinho e ajuda dos amigos. Consegui me divertir e andar por todos os lugares. Mas como em qualquer cidade brasileira você enfrentará dificuldades com calçadas, banheiros, etc. Mas planeje e divirta-se sempre ! Uma boa viagem é umas das melhores experiências e sentimento de liberdade e independência .... Próxima parada Rio de Janeiro...” Legal

 

 

É isso, gente! Com um pouco de planejamento e tendo clara noção de que haverá perrengues, mas que se divertir vale muito a pena e todo mundo pode viajar!

 

* Imagens de arquivo pessoal

Escrito por Jairo Marques às 08h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.