Jairo Marques

Assim como você

 

O blog ao vivo!

“Povão”, ainda tô em férias, mas vim aqui pra ter um dedinho de prosa com vocês que, eu sei, tão tuuuudo com “xodadis”! Legal

Nem contei nada, mas, nesta semana, fui até Campo Grande (MS) dar uma de “palestreiro”. Isso, isso mesmo: contar umas mentiras, umas piadas pros “pessoais” dar umas risadas desse pessoal “malacabado”, e umas histórias pra provocar um pouco de reflexão, uma choradinha.. Uuuuia. surpreso

“Mas, tio, ocê num tava nos repouso, nos desfrutes?”. Sim, mas o convite foi irrecusável: Falar para pessoas que trabalham no Tribunal Regional do Trabalho, ou seja, só a negada que manda prender e mandar soltar gente que não cumpre o nosso direito de ganhar uns “real”... Carente 

Além do mais, como muita gente sabe, eu me formei em Campo Grande e voltar lá para falar da “Matrix” teve um gostinho bããão!

O auditório, “zente”, tava lotado (valeu, Marleninha!!!). Saca van da ‘zona lost’ de São Paulo às 7h? Então, “memo" que vê...Rindo a toa. E eu tava muito à vontade, mesmo com o presidente do Tribunal, o doutor Ricardo Geraldo Monteiro, sentado assim, na frentona...Embaraçado

O mais legal é que o “homi” se empolgou com a minha “contação de causo” e não arredou pé... ficou até o fim da falação, fez pergunta, riu, se emocionou.  Geralmente, as autoridades só fazem a abertura de eventos... Gostei disso, viu, "ziminos".

Bem, mas vou desembuchar, num fiquem “nelvosos”... Muito triste Como eu estava sozinho, tive um ótimo tempo, pude soltar a franga (as férias fazem coisas com a gente Convencido) e contar diversos aspectos da vida desse povo sem perna, sem braço, meio manco, que não vê, que não ouve...

E, o mais interessante, pude ver ao vivo as emoções que meus fieis leitores tanto me narram pelos comentários ou por emails. E, confesso, foi bacanudo demais. O povo se esborrachava de rir quando o tio veio contou que tem gente que acha que cadeirante não fala, chorou de soluçar com exemplos de personagens do blog, se comoveu e, pra mim, saíram dali agentes da acessibilidade.

 

Acho que iniciativas de empresas e órgãos públicos que querem conhecer mais sobre os perrengues e peculiaridades da vida de quem tem algum tipo de deficiência ajudam demais no nosso projeto humilde de “dominar o mundo”. Bem humorado

Em tempo: “Zimininos”, hoje é o ÚLTIMO dia para participar do concurso da “viagem dos sonhos”. Já temos muuuitas participações, mas seria legal ter mais porque desta forma, outros passeios vão surgir e mais gente vai ter chance de zambetar por ai....Rindo a toa

Vou dar uma colher de chá e aceitar mensagens que cheguem até o dia 1 (mais conhecido como amanhã), às 12h... ui....Entorpecido Depois disso, as frases não vão ter validade...

Bom final de semana e beijo nas crianças!

* Imagens de divulgação TRT da 24ª região

Escrito por Jairo Marques às 01h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

11-D

“Zimininos”, já estou de volta ao Brasil, agora, todo faceiro aqui nas "Trelagoa", desfrutando das terras que a minha família tem embaixo das unhas Muito triste  e bronzeadinho porque lá nos ‘Estadusunidos’ estava um calorão. (Totalmente 'inzibido', off course  Bem humorado)

Faltou falar um bocadinho da parte final da minha odisséia norte-americana, né, não? Pois bem. Sai de Nova York sob uma chuva torrencial! Era mesmo um sinal de que era hora de deitar o cabelo, eu acho.

No aeroporto, a aventura começou. Como sempre faço, dispensei aquele serviço de ajuda que as companhias oferecem de “pajear” o ‘malacabado’. O complicado é que colocam a gente em uma cadeira de rodas desconfortável e até embarcar no avião, o bicho pega.

Bem, mas ai, negada, eu não contava que o meu portão de embarque fosse lá do outro lado do planeta Carente.... e o chão era encarpetado! Toooooma... mas, beleza, afinal eu sou sarado, lavado e bem passado.

Na hora do embarque, a atendente da cia aérea me convenceu a trocar o número da poltrona porque a que eu estava localizado era de difícil acesso, segundo ela. Beleza, fiquei com a 11-D.

Ai, povão, veio a equipe que me ajudaria a entrar na kombi voadora... Só por “gzuis”, mesmo. Os “pessoais” me amarram numa cadeirinha que parecia que eu era fugitivo de Alcatraz. Rindo a toa

Mas, tudo bem... era pra minha segurança. Chegando no local da poltrona, quem disse que tal 11-D era prática? Era nada. E fez uma pequena muvuca... Contudo, ir para a Miami encontrar pessoas tão queridas como minhas leitores “top ten” Silvia Dutra e Débora Rosenn, era o que me importava, de fato!

O voo durou umas três horas e meia e lá estavam as duas lindas me aguardando “ingual que nem” menino às vésperas de entrar no circo. Muito feliz

Pra mim, é sempre muito emocionante me encontrar com leitores que admiram o blog, que se engajaram na causa da acessibilidade, mas, aquelas duas, que tanto colaboram comigo, o sabor era especial.

 

Ver as meninas foi um ponto forte dessa viagem e elas não pouparam tietagem ao tio... emotion. Rimos demais, recordamos histórias, falamos de toda a comunidade que se gerou em torno do “Assim como Você” e nos divertimos um bocado.

Miami, como NY, é absolutamente acessível. Pra todo lado tem rampa e tem informação. Porém, como a cidade tem menos transporte público e mais vias de trânsito por carro, notei que, nas ruas, há vááááárias vagas reservadas aos deficientes... e, NINGUÉM desautorizado usa.

Durante os vários passeios que fiz com Debis e Silvetz, lá estavam as vagas devidamente livres ou ocupadas por quem tinha direito de usá-las. (caso haja desrespeito, a multa é de US$ 250! e guincho).

A minha saga pelos EUA termina aqui. Muitos detalhes da minha viagem relativos à acessibilidade, a dicas pra cadeirantes viajarem vão estar no caderno Turismo da Folha, em breve. Quando for publicado eu aviso a todos.

Agora, vou curtir um bocadinho mais as minhas férias!!! Té... boa semana a todos

Escrito por Jairo Marques às 21h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.