Jairo Marques

Assim como você

 

Dia de festa

“Zente”, tô passando aqui rapidinho só pra falar umas palavrinhas! Ontem eu recebi um email de uma estudante universitária ou seja, da “zelite” do país, que dizia assim: “Demorou para alguém com sua atitude começar a causar na internet!”.

 

Ai, ai... achei tão maraviwonderful ler isso...Atingir a um público tão importante para o nosso projeto de domínio do mundo , como o jovem, me deixa muito contente. Um presente de verdadchi, mesmo... vocês me “mimam” demais e vão acabar estragando a criança.

 

Bom, mas falando em presente, eu vim aqui pra dizer que hoje eu tô ficando (MAIS) véio! Alguns já reparam que ai do lado, no meu perfil, os números mudaram de 33 para 34. E também colocaram uma foto nova, depois que apliquei botox.

 

 

 

Sinceramente, vocês têm feito meus dias de muita festa e por isso eu divido a data com todo mundo. Me dão um gás tremendo para avançar com a minha kombi enferrujada por esse mundo da Matrix de quem tem alguma deficiência. Pra mim, é um orgulho ter o carinho e a confiança dessas três ou quatro pessoas que vem aqui todos os dias (mentiiiiira !)

 

Os textos do blog se espalham pelas “internets”, por blogs, pelos “orquitis” e eu já recebi um email, certa vez, dizendo assim: “Jairo, olha que coisa linda e emocionante isso que te mando abaixo. Pode ser uma inspiração para o seu blog”....

 

Povo, adivinhem o que era??? Era um post meu!!!!

 

Ai, ai... mundão véi sem porteira.

 

Além do meus próprio aniversário, queria avisar a todos que amanhã faltará UM MÊS para a passeata do Movimento Superação aqui em São Paulo.

 

Então, não tem desculpa para quem mora longe dizer que não se programou! Pode ir matando os frangos para fazer a farofa da matula! Faz rifa pra pagar a passagem de jardineira, fica em frente do supermercado pedindo moeda para inteirar o valor das despesas, mas venham pra São Paulo!!!!

 

É uma chance única de mostrar que a causa da acessibilidade não é só importante para meia dúzia de pessoas que ficam trancadas em casa. É importante para todo um país!

 

Volto a falar dos preparativos da passeata em breve. Agora eu vou me arrumar para “avuar” por ai e nem sei quando eu volto, tá? Te mais!

Escrito por Jairo Marques às 00h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pé na estrada

“Pessuar”, então..... é...... assim... segura o choro, seguuura... o tio entra em férias a partir de hoje!

 

Tô só “andando” de zorba e com lata de cerveja gelada na mão pela casa... um verdadeiro Homer Simpson latino, é, latino porque anda num cavalo, né?

 

Vamos entrar num acordo pra vocês não ficarem escrevendo: “ai credo, nem escreve mais, tô passando mal... ai que qui custa escrever umas piadas “avezes” pra mode a gente se “advirtir”... comé eu vou fazer sem saber as novidadchis da Matrix?”.

 

Não vou blogar toooodo dia... e os horários também não serão mais fixos. O esquema também vai ser qualquer hora é hora. . E os post serão menorzinhos,  "fexô", meu povo?

 

 

 

Eu, como sou chique que nem camiseta cor de burro quando foge, vou viajar, né? De certo é que vou filar bóia na casa de muita gente aqui pelo interior de São Paulo (quem prometeu “xurras” já pode ir matando as vacas), vou visitar minhas galinhas lá me Taubatexas e vou pra outros cantos que não conto por causa dos paparazzi!

 

No ano passado ou seria no ano retrasado?(minha memória anda meio fraca) eu fui pra Fortaleza (CE) me esbaldar nas férias. Viajo muito sozinho, sabe, povo... um “minino bão e solitário” ...  

 

O duro não é viajar sozinho, o duro é ficar respondendo o tempo todo: “Nossa, mas você viaja sozinho, mesmo? Como você faz pra tomar banho? E como você faz pra deitar na cama? Você num tem ninguém na vida, nego?”

 

Ai, ai.. me leva gzuis, me leva que eu tô pronto!

 

 

 

E lá no Ceará eu inventei de andar de bugue no meio das dunas de uma praia daquelas de deixar a gente de boca aberta. Pra que a gente inventa certas coisas na vida, né, não, povo?

 

“É com emoção ou sem emoção?”, perguntou o bugueiro.

 

“Óia, moço... eu quero só umas risadinhas. Saca assim, meia calabrezza meia muzzarela?... nem pra Deus nem pro diabo, rola?”

 

E gente, lá foi eu avuar naquele troço. O corpo de deficientes como eu, que tem as pernas pouco desenvolvidas, num para quieto quando as coisas sacolejam muito ... e eu me agarrava nos ferros daquele bugue e num sabia se eu rezava, se segurava as emoções das partes, se ria de tão gostoso que era aquilo. Foi inesquecível e emocionante. Acho que todo mundo tinha de se dar esse presente na vida.

 

Nesta semana, eu ainda volto pra falar uns lances “importantchis” desse povo malacabado, tá beleza? Trabalhem duro ai que eu vou colocar o meu bermudão daqui.

 

Beijos nas crianças!

 

* Imagens do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 03h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.