Jairo Marques

Assim como você

 

Xaxau, Felipinho...

Pensei demais, demais para decidir se dividiria isso com todos vocês. Como esse diário virou uma união seja na alegria, seja na tristeza, uma comunidade de gente do bem, conclui que sim.

 

Ademais, quando se apagam as grandes estrelas, todo o universo a rende homenagens diversas. E esse menininho sorridente foi uma grande estrela deste blog!

 

Ele foi o primeiro “hominho cadeirantinho” a desfilar pelado com seu peniquinho verdinho por aqui. Além de dar um sorriso inesquecível de uma alegria de viver que encantou centenas de leitores....

 

 

“Olá Jairo, tudo bem?
 
Estou aqui cheia de saudades. Felipe partiu desse mundo terça-feira, decorrente de uma parada cardiorespiratória por conta de uma pneumonia.

 

Foi tudo muito rápido. Passamos um final de semana maravilhoso em João Pessoa. Ele brincou muito, foi à praia... tudo que gostava.

 

Na segunda à noite, foi internado com uma infecção respiratória leve. Durante a madrugada teve uma crise de asma muito forte, enfim... tô te escrevendo pra te informar.

 

Quero que saibas que você me ajudou muito com suas histórias, com as histórias das pessoas que você nos apresentava em seu blog. Estarei sempre lá, lendo você todos os dias ou pelo menos de segunda a sexta. Porque é um vício ao chegar no trabalho, a primeira coisa a fazer é ler as notícias e o seu blog.


Felipe cumpriu sua missão aqui. Ele foi rápido, mas conseguiu mudar o pensamento de muitas pessoas. Nos mostrou outros valores, nos fez amadurecer demais.
 
Fique com Deus.
 
Xaxau, bjos! Aline Silva”

 

Sem qualquer tipo de sensacionalismo, afirmo a vocês que eu era um grande fã do blog do Felipinho, que acabara de completar cinco aninhos. Aline, a mamãe, descrevia diversos momentos da superação dele diante da mielomeningocele com muito humor, com diversas lições de vida.

 

E o Felipinho era totalmente “Assim como Você” porque era um cadeirantinho que fazia a diferença quando encarava o mundo, quando batalhava para ter uma vida como qualquer criança, quando queria uma cidade, um país mais pleno para todo mundo.

 

Para mim, esse molequinho falante, tão falante que parecia o burrinho do filme Srek, como se dizia em sua família, era ainda mais especial porque acompanhou o meu trabalho desde o primeiro texto.

 

Como você dizia em todos os seus vitoriosos posts, xaxau... xaxau, querido Felipinho... 

 

 

* Imagem do arquivo pessoal de Aline Silva

Escrito por Jairo Marques às 07h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Coisas do esporte

Futebol

 

Quando eu digo pra vo6 que esse povo torto da Matrix de quem tem alguma deficiência física está próximo de dominar o mundo ninguém acredita, mas vejam só a “novidadchi” que trago hoje.

 

Sabem quem aderiu à causa da acessibilidade? Um cabra desconhecido, tá certo, mas que, digamos assim, é um símbolo de perfeição... então, é o... Pelé!!!

 

Povo, o Conade (Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência), que fica lá em Brasília, aquela cidade que deu um pau danado nos coments do último post , tá com uma campanha “maraviwonderful” total full.

 

Eles estão chamando atletas de grandes clubes, eu falei grandes, né? Como os do Santooos, êo, êo êo, do Grêmio, do Botafogo, do Fluminense, do Cruzeiro, do Atlético Mineiro, do Villa Nova e do América (os últimos dois também de MG) para apoiarem a revolução para o mundo mais pleno pra todo mundo!

 

E o último a aderir foi justamente o Pelé. Eu acho a idéia “fantásmica” porque o futebol agrega milhares de pessoas e seguidores. Então, se cada vez mais jogadores entrarem no time da acessibilidade, a gente toma conta de tuuudo rapidinho!

 

 

 

O objetivo da campanha é conscientizar todo mundo para eliminar as barreiras de atitude, física, de informação e arquitetônicas que nos empurram a viver num mundo paralelo, né, não?!

 

Os jogadores estão falando do tema ao final das partidas ou usando camisas com o símbolo universal, que nem esse que coloco aqui embaixo. Pô, gostei!

 

 

Fórmula- 1

 

No final de semana vai haver o GP Brasil de Fórmula-1 aqui na city de “Sum Paulo”, né? Para os malacabados que forem até o autódromo, o Serviço de Atendimento Especial, o Atende, da Prefeitura de São Paulo, vai disponibilizar suas vans para esse povo que dá um trabaaaaaalho.

 

 

O lance será assim: as Vans, que são equipadas com elevadores e “quetais”, vão sair de algumas estações de metrô levando os cadeirudos até Interlagos. Para saber quais serão clique aqui e veja os telefones dos postos de atendimento em toda a cidade. Tomara que funcione bem, porque pra outros tipos de atendimento a fila para conseguir uma vaga é quilométrica! O telefone geral de informações é o 0800-155234.

 

Natação, musculação, e outros çãos

 

Gente, a Ana Estela, que já falei algumas vezes aqui, editora de treinamento da Folha e madrinha desse blog porque foi ela quem incentivou demais o tio a escrever esse monte de piada, está "fazendo" uma turna de trainees totalmente “Assim como Você” .

 

Afora o Leózim, que é malacabado, ela botou os meninos no tronco  e eles têm feito uma série de reportagens sobre a Matrix. Uma delas é um serviço inédito sobre academias e esportes para deficientes.

 

Todas as matérias estão abertas para leitura na Folha Online. Porém, gente, o que é mais incrível é que os futuros fazedores de jornal descobriram que há vagas SOBRANDO em academias, de GRATIS, é, assim, sem pagar NADA, para diversas atividades desportivas, exclusivas para deficientes.

 

Quer saber mais? Coloco os links da série primorosa que eles fizeram aqui no final pra todo mundo.  Deixem de preguiça e vamo malha!!!

 

1. Folha Online - Equilíbrio - Paraolimpíada eleva procura, mas sobram vagas para deficientes atletas - 24/10/2008
... modalidades para deficientes. A 700 metros dali, a sede central da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) utiliza o esporte como parte do processo de tratamento do ...
http://www1.folha.uol.com.br/fo...io/noticias/ult263u459778.shtml

2. Folha Online - Equilíbrio - Esporte dá a deficiente autonomia, além de força - 24/10/2008
... 24/10/2008 11h34 Esporte dá a deficiente autonomia, além de força da editoria de treinamento da Folha de S.Paulo Após três anos de exercícios de reabilitação,Thiago de Oliveira, 31, ... atleta profissional e até representou o Brasil na Paraolimpíada de Atenas. Mesmo que no primeiro momento o deficiente procure o exercício físico por recreação ou como complemento a ...
http://www1.folha.uol.com.br/fo...io/noticias/ult263u459777.shtml

3. Folha Online - Equilíbrio - Deficientes usam academias improvisadas - 24/10/2008
... estima. O aluno da Bio Ritmo Rafael de França, no entanto, faz um alerta: "A sociedade enxerga o deficiente ou como o coitadinho, que precisa de tudo, ou como o super-herói que ...
http://www1.folha.uol.com.br/fo...io/noticias/ult263u459517.shtml

* Imagens do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 07h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Camisa estampada e calça com elástico

- Oi, eu queria ver umas camisas e umas camisetas. Mas de manga curta, assim, fresquinha pro verão, né? Mas quero só lisas, tá? No máximo com listrinhas.

 

- Magiiiina, vou te mostrar umas com estampas que são a sua caaaara!

 

- Brigado, eu quero lisas, mesmo. Não curto estampa....

 

- Prova essa, vai. Olha que estampa mais linda, mais na moda. Vai te deixar um luxo!

 

- Moço, eu não gosto. Não combina, né?

 

- Claaaaro que combina!!!! Pelo menos veste pra ver o caimento no seu corpo, vai.

 

De tanto aquele infeliz insistir, acabei me rendendo e colocando a encardida camiseta com um daqueles desenhos nas COSTAS que só por gzuis pra saber o que significam.

 

Ai eu perguntei, bem irônico, com aquela cara de vingança, escorrendo baba da boca!!!

 

- Ficou bom? Ficou bonito? Caiu bem?

 

O cidadão, então, se tocou que não adianta querer empurrar camisa estampada pra cadeirante, né? O desenho nas costas não vai aparecer!

 

Mas ele ainda resistiu soltando aquelas pérolas de vendedor:

 

- Ah, mas o que importa é você se sentir bem usando uma roupa, não se vão ver, né?

 

 

Para experimentar camisas, pros “homis esgualepado” não tem muito problema se não couber no provador. Ainda mais para quem é sarado, lavado e bem passado que nem “ingual” o tio.

 

A gente tira a roupa ali no meio da loja mesmo. Agora, e as “minina”? E os peitos de fora?

 

É porque vocês já viram provador acessível? Dono de loja acha que o povo da Matrix “anda” tudo pelado, na certa. Ou que a gente num tem dinheiro pra ir ao “xópim” comprar trapo pra forrar a bunda. Ou ainda que a gente usa aquelas roupas de doente, sacam? Aquelas camisolas de tamanho único?!

 

Bem, mas vamos voltar às compras....

 

- Não quer ver umas calças também? Tão na promoção. Você compra cinco e ganha um par de meias.

 

Tentado pela bagatela, eu encaro experimentar as calças.

 

- Gostei dessas três. Vou no provador ver como ficam, belê? ... Ixi, num cabe a cadeira, não.

 

- Caaaaabe, meniiiino... com jeitinho cabe até um elefante aqui!

 

Claro que não coube, né, povo?! Provadores são minúsculos e cabem, em geral, uma pessoa em pé... no máximo duas, com jeitinho, ui! Quem é tetra e precisa de se trocar com ajuda, então, totalmente impossível. Cadeira “elétrica”? Nem por decreto!

 

 

 Mas, fazendo um aparte , até os meus 15, 16 anos eu só usava calça de elástico na cintura e que fosse feita de tecidos fininhos. Culpa de quem????

 

Éééééeé... minha mãe dizia que calças jeans iam apertar demais a minha cintura e que o tecido ia esquentar muito as minhas perninhas, os meus cambitos. ... Ai, ai, como criança sofre, né? Mas, voltando à loja.

 

- Não rola, não, viu?! Eu não posso ir experimentar no banheiro ali de fora da loja?

 

- Não costumamos adotar esse procedimento, viu? Mas vou falar com o gerente pra ver se ele abre uma exceção.

 

- Puxa, muito agradecido, viu? Quer que eu fique de joelhos?

 

E lá fomos eu e o vendedor, desses franguinhos, sabem? É, franguinho magrinho, com o cabelo “arrupiado”, usando roupas totalmente IN, jeitão “descolado”.

 

Eu achando que ia entrar no banheiro sozinho, né, pô? Mas o cara entrou junto pra me “auxiliar”. Naquele momento em temi pela minha virgindade.

 

Depois de uns quiiiinze minutinhos, é porque é uma missão enfiar uma calça jeans num “malacabado”, experimentei três, mas gostei só de uma.

 

-Ahhhh, mas você tem que olhar direito essa aqui. Esse detalhe no bolso é muito lindo. Olha esse zíper. Olha esse corte... Vai ficar lindo demais no seu corpo.

 

- Moço, o bolso não aparece. Eu fico sentado o dia inteiro encima da bunda, né?

 

- É... verdadchi! Mas o que importa é tá na moda!!!!

 

 

Roupas e deficientes, sobretudo os cadeirantes, rendem vários posts. Imaginem o sacrifício de botar um terno? O paletó fica enroscando nas rodas, o tecido é muito molinho e fica dançando no corpo a cada vez que a gente se movimenta, a gravata fica sempre no meio das pernas. Óia, é um trem (aêêê Minas!!!)

 

Para as “malacabadas”, usar vestido é um capítulo à parte!!! Alguém pode contar melhor lá nos coments???

 

Em tempo: Cada vez mais os deficientes estão tendo poder de compra. Eu, por exemplo, tô com uma nota de dois contos na carteira agora! . É importante que seja garantido o nosso direito de entrar nas lojas, experimentar as roupas como qualquer pessoa.

 

Quando o local não tem um provador acessível ou quando o vendedor nos trata como um doente ou como um cliente que não tem suas especificidades, ele está perdendo dinheiro. E para ter uma loja “universal” nem é preciso muita coisa, sobretudo as que funcionam dentro de shoppings. Um local um pouco mais ampliando para experimentar as roupas, ajuda um bocado!

 

* Imagens do Google Imagens

Escrito por Jairo Marques às 22h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A vingança do labrador

“Zimininos”, eu adoro cachorro. Não sei se isso acontece com outros “malacabados” desse mundão, mas meus cachorros sempre adoram ficar embaixo da minha cadeira, como se tivessem de guarda, à minha disposição.

 

Faz três anos, depois de ler e ouvir que labradores são cães de companhia, dóceis e amigos, comprei um _ o Nero_ e dei de presente pra minha mãe. Óia, gente, o bicho tem parte com o demo.

 

Agora ele está um pouco mais calmo, mas, nos primeiros dois anos, ele comia os móveis da casa, as roupas, as paredes... Mas, não dá pra deixar de achá-lo um queridão.

 

Os labradores, quando treinados, se transformam em um “instrumento” que pode mudar muito a vida de quem tem deficiência visual, se transformam em cães-guia. Escrevi um texto lááááá atrás sobre isso. Quem quiser, pode ler aqui.

 

O processo de educar um cachorro e fazê-lo um cão-guia é bem caro e demorado. Então, se vocês tiverem oportunidade de ajudar um cego que esteja arrecadando fundos, de forma legítima, para ter um desses companheiros, vai estar fazendo uma grande ação!

 

Hoje, coloco um videozinho bem “curtim”, que divulga o trabalho de uma associação de cegos, lá dos "Estadosunidos", que auxilia na conquista dos cães-guias. Vale demais a pena a ver e dar boas risadas..

 

 

As únicas frases em inglês são: "Escola de cão-guia", na fachada de um prédio e "Dê uma chance a um cachorrinho para se tornar um cão guia", no final.

 

Escrito por Jairo Marques às 07h57

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Jairo Marques Jairo Marques, 37, jornalista pela UFMS e pós-graduado em jornalismo social pela PUC-SP. Trabalha na Folha desde 1999. É colunista do caderno "Cotidiano".
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.